Defesa civil de Igarapé se diz preparada para novas chuvas

Em Igarapé, as lições da natureza foram aprendidas sob o céu cinzento das temporadas de chuva. Com a memória ainda fresca dos estragos causados pelas últimas inundações, a cidade não está deixando nada ao acaso. Sob a liderança notável de Marcionílio Maia, Coordenador de Defesa Civil, Igarapé tem se transformado em um bastião de prevenção e resposta a desastres naturais.

 

Em Igarapé, as lições da natureza foram aprendidas sob o céu cinzento das temporadas de chuva. Com a memória ainda fresca dos estragos causados pelas últimas inundações, a cidade não está deixando nada ao acaso. Sob a liderança notável de Marcionílio Maia, Coordenador de Defesa Civil, Igarapé tem se transformado em um bastião de prevenção e resposta a desastres naturais.

“As chuvas trouxeram destruição, mas também a oportunidade de reconstruir melhor e mais forte”, esclareceu a assessoria da Prefeitura de Igarapé. Com essa mentalidade, o município revisou seu Plano de Contingência, integrando estratégias de mitigação e resposta rápida a emergências. A cidade solidificou sua infraestrutura, reforçando áreas vulneráveis com obras de drenagem e estabilização de encostas, enquanto aprimora os métodos de alerta e comunicação para garantir que os cidadãos estejam sempre informados e preparados.

As sirenes de Igarapé, que antes anunciavam perigo, agora ressoam como símbolos de um sistema de alerta precoce, complementado por soluções tecnológicas como o aplicativo PROX e alertas via SMS. A cidade se tornou um modelo para a colaboração interagencial, mostrando que a integração entre a defesa civil, bombeiros e polícia pode ser sinônimo de eficiência e rapidez na ação.

O envolvimento comunitário é o núcleo da estratégia de Igarapé, com a educação e o treinamento sendo disseminados por meio do Núcleo de Proteção e Defesa Civil e do programa “Defesa Civil nas Escolas”. Estes esforços visam incutir uma cultura de resiliência, transformando cada morador em um vigilante ativo e um potencial primeiro respondente.

- Publicidade -
Ad image

A resposta proativa de Igarapé aos desafios climáticos é uma história de empoderamento e inovação. “Mudamos nossa postura de reativa para proativa, e isso faz toda a diferença quando se lida com fenômenos tão imprevisíveis quanto o clima,” conclui Marcionílio Maia.

Compartilhar
Comentar