A MÃE DA CULTURA

Dona de um legado marcante e único, na construção de ações culturais e sociais em Igarapé, conversamos com Cássia Corradi. Com muita ternura nas palavras e amor notável pelo que faz, perguntamos sobre sua história e desafios atuais.

1)    Cássia, quem é você?

Engraçado que não gosto muito de falar sobre mim (risos). Sou a Cássia, cheguei em Igarapé em 1981, casada, mãe de dois filhos e tenho 2 netos. Amo minha cidade, gosto muito de plantas, principalmente orquídeas, de fazer e ter amigos, amante de bons livros e fascinada por tudo que é arte. Sou uma mulher de muita fé e me considero uma eterna aprendiz. Gosto de conversar, viajar, dar atenção as pessoas e aprecio muito um bom cafezinho.

 

2)    Qual a sua história com a frente cultural e social na cidade?

Sempre fui uma apaixonada pelo Social, Cultura e Meio Ambiente. Entendo que estamos nesse mundo para somar e agregar na vida das pessoas. Por isso, quando teve a criação da Assecig tive a oportunidade maior de fazer um pouco para essas áreas. Com organização, apoio de muitos e muita força de vontade, temos feito um trabalho legal ao longo desses 33 anos de funcionamento da Assecig. Repito que não seria possível fazer sem apoio do Poder Público, empresários, amigos e equipe, que sempre acreditaram em nossa luta e trabalho.

- Publicidade -
Ad image

3)    Quais os principais desafios de tantos anos se dedicando a essas causas?

Os desafios são constantes. Às vezes são tantos que a vontade de desistir é inevitável em vários momentos. As mudanças e crescimento são rápidos demais, mas a gente vai se adequando, ajeitando, criando força e coragem e com apoios, com a equipe, vamos seguindo adiante. Dos desafios encontramos soluções e delas, força para seguir na missão.

 

4)    Você se lembra de algum momento emocionante que marcou significativamente a sua vida?

Para dizer a verdade, foram vários momentos e situações que me emocionam até hoje quando lembro, que não me deixaram desistir nestes quase 33 anos na Assecig. Tudo começou no governo do saudoso ex-prefeito Cristiano Chaves, pessoa muito querida e muito próxima da minha família. E depois veio o Governo do Arnaldo chaves, que também comungou os mesmos sonhos e ideais meus em favor das pessoas. A Regina Chaves e Márcia Chaves, foram super parceiras e companheiras em diversos projetos. E esse apoio de todos me marcou muito, por fundamentar o caminho que iríamos trilhar. Quando vejo tantos jovens que participaram de nossos projetos sociais hoje encaminhados, felizes, inseridos no mercado de trabalho, se despontando, dando depoimentos e nos agradecendo pelos nossos ensinamentos. Isso é reconfortante e maravilhoso!

 

5)    Como equilibrar sua vida pessoal com tanta dedicação ao próximo?

Essa pergunta me pegou de jeito! Sinceramente não sei se consegui esse equilíbrio. Sempre trabalhei incansavelmente pelos projetos, pelas pessoas, pelas causas com muito amor, carinho e respeito. Talvez o apoio da minha família pela minha ausência em casa, pela correria do dia a dia, pois me dediquei demais aos trabalhos que sempre executei, é um ingrediente fundamental para tantos anos de história.

 

6)    Sua trajetória à frente dessa luta, valeu a pena?

Com toda certeza digo que valeu muito a pena. Aliás, vale a pena. Quando se faz por amor e dedicação ao próximo, sem pensar em si, sempre vale a pena. Sou grata demais por estar tentando fazer algo, dar minha contribuição desde que vim para Igarapé. E me sinto muito feliz pela oportunidade. Não faço mais parte da diretoria da Assecig, temos uma diretoria bacana, que luta pelos mesmos ideais, que sempre busca solução para os problemas. Eu continuo na coordenação, buscando reforços para os projetos junto com a toda equipe. 

 

7)    O que você diria hoje para a Cássia, lá no início da caminhada?

Eu diria a Cássia: acalme-se. Vá em frente, dará tudo certo. A caminhada é longa, difícil, com pedras, mas sempre haverá luz para iluminar a trajetória. E muitas pessoas dispostas a te dar a mão. O bem permanece sempre, apesar de às vezes haver forças contrárias. O sol da semeadura é forte, mas a colheita é certeira. E por fim, confie!

 

8)    Agora a frente da cultura da cidade, o que as pessoas podem esperar?

Há pouco, a convite do Prefeito Arnaldo Chaves e Dautinho, Assumi a Secretaria de Cultura e Turismo de Igarapé. Mais um desafio aceito, pois Igarapé tem crescido muito em todas as áreas, e a cidade tem um imenso potencial em todos os sentidos. E quero fazer o melhor, dar o meu melhor. Sei que enfrentarei problemas como em todas as cidades, mas com vontade, apoio, seguiremos adiante, mostrando que estamos dispostos a somar para ver a nossa Igarapé cada dia melhor, pois potencial ela tem e muito.

- Publicidade -
Ad image